Ir para o conteúdo

Prefeitura de Pederneiras
Acompanhe-nos:
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Rede Social Youtube
Símbolos Municipais

Bandeira Municipal

Bandeira retangular em cor azul tendo uma faixa branca em diagonal. No centro um círculo verde, tendo no seu bojo em cruz, verticalmente e horizontalmente se encontrando a palavra PEDERNEIRAS, em preto. Apontando para o centro, quatro flechas, duas azuis e duas vermelhas, sendo as vermelhas colocadas no sentiodo horário, às 11 horas e as 5 horas e as de cor azul à 1 hora e as 7 horas. No canto esquerdo inferior três estrêlas brancas.

LEI Nº 1.015 de 09.11.1972

O Blau azul representa o firmamento e os ideais límbidos de Pederneiras. O círculo em sinople verde significa as matas e o solo e dadivoso da cidade. As flexas lembrando a todos que Pederneiras se localiza com prescisão no Centro Geográfico do Estado de São Paulo.

A cor vermelha (goles) significa a pujança e a luta na conquista do Minicípio. A faixa branca diagonal, a pureza dos ideais socio-políticos-econômicos da nossa cidade. Finalmente as três estrêlas representam os três distritos, Guaianás, Santelmo e Vanglória.

 

Brasão Municipal

LEI Nº 479 de 23 de abril de 1957

O Escudo português lembra a origem lusitana de nosso país, como homenagem ao povo descobridor. A cruz latina e as três estrêlas de ouro significam, repectivamente, a sede paroquial de Botucatu (Freguesia de Santana), e os sertanistas Manoel dos Santos Simões, Manoel Leonel dos Sanots e João Leonel dos Santos (paiu e dois filhos) que chegaram em 1848, fundando a “Fazenda Pederneiras”, que deu origem ao povoado, hoje cidade em franco progresso.

O campo azul reflete o céu luminoso da terra bandeirante. As Três flechas de ouro vermelho simbolizam as lutas travadas entre os índios e os sertanistas que se dirigiam apara o Oeste à procura das riquezas nativas, dilatanto, ainda, a linha de Terdesilhas para as raias do Continente Sul-Americano; lembram, também, as três flechas que suplicaram São Sebastião, sob cuja invocação foi erigida a primeira capela de São Sebastião da Alegria, – hoje elevada a categoria de Matriz, após reformas consecutivas, cujo solo foi palco de cruentas lutas entre os sevícolas e os primeiros habitantes, sendo que, numa refrega, de surpresa, tombou heroicamente o velho sertanista Manoel dos Santos Simões. A cor vermelha representa lutas e ardis. O rio de prata em campo verde simboliza o Tietê, – via de acesso às selvas bandeirantes desde os primeiros tempos as nacionalidade. As duas pederneiras faiscantes, simbolizam a grande quantidade de pedra-de-fogo encontrada no local, de cujo atrito espargem contelhas luminosas. O café e o arroz, produtos agrícolas que, aliados a tantos outros, representam a riqueza agrícola do Município. O verde cor da esperança, simboliza o tapete verdejante da pujança florestal da região. A data de 1848, lembra a fundação de Pederneiras pelas três primeiros habitantes, e, a data 1891, assinala a criação do município com a denominação de Sào Sebastião da Alegria, desmembrado do de Lençois ao qual estava incorporado desde 24 de abril de 1865, abastecendo-se na época a população, no comércio da Vila de Fortaleza, hoje, estação de Piatã.

 

Hino Municipal

O Hino do Município de Pederneiras, de autoria do Sr. Roberto Gonçalves Juliano, com melodia do Maestro Vidal França é a seguinte:

“Pedra de fogo…
Água cristalina…
Tietê hoje e Hidrovia,
Uma história que vem de Minas:
Três sertanistas,
Na terra roxa,
Sementes da paz
que aqui germina.
Fomos forjados de amores brasileiros,
um universo de cores e timbres estrangeiros,
um universo de cores e timbres estrangeiros.
São bem bonitas nossas bandeiras,
dizem bem alto De Pederneiras,
dizem bem alto De Pederneiras.
Somos irmão, partes da mesma flor,
destino do sangue que o azul irrigou;
são muitas raças, encontros de amor,
o mundo inteiro no meu interior.
Rio Tietê, canto com você uma vida inteira…
Há muitas estórias vivas na memória de Pederneiras.

 

Pedra de fogo…
Água cristalina…
Tietê hoje é Hidrovia,
a história retorna a Minas:
Três sertanistas,
na terra roxa, sementes da paz
que aqui germina.
Fomos forjados de amores brasileiros,
um universo de cores e timbres estrangeiros,
um universo de cores e timbres estrangeiros.
São bem bonitas nossas bandeiras,
dizem bem alto de Pederneiras,
dizem bem alto de Pederneiras.
Somos irmãos, partes da mesma flor,
destino de sangue que o azul irrigou;
são muitas raças, encontros de amor,
o mundo inteiro no meu interior.
Rio Tietê, canto com você uma vida inteira…
Há muitas estórias vivas na memória de Pederneiras”.

Partitura da Melodia/Música do Hino de Pederneiras, de autoria do Maestro 

 
Seta
Versão do Sistema: 2.10.3 - 01/03/2021
Copyright Instar - 2006-2021. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia